domingo, 21 de julho de 2013

TO SENTINDO ALGUMA COISA!





Neste mundo de “Verdades Urgentes”, temos cada vez mais problemas dinâmicos que demandam pessoas e atitudes dinâmicas, que por sua vez, adaptam a mentalidade do povo para este “novo mundo”, que é bem diferente daquele de Cristóvão Colombo.

Como uma coisa não se separa da outra, querer fazer distinção do “Mundo Secular” do “Mundo Gospel” é impossível, se é que existe este "Mundo Gospel" além do comercial. Uma “cosmovisão” equivocada e nem um pouco bíblica, como estes costumam dizer, “temos de separar o santo do profano”. A filosofia sempre impacta a teologia e muda a forma de interpretar a teologia de toda uma geração ou época, o seu modo de agir e conseqüentemente o culto dentro das igrejas. Foi assim com a idade média, moderna, iluminismo...

Pois bem, vivemos num mundo dinâmico de emoções e de reações adaptadas. Não valorizamos mais a razão como fonte ou ferramenta participativa da nossa “Vida Espiritual”. Sempre quando começamos algo que exige raciocínio alertamos os ouvintes: “Parem para pensar!” (Mario Sergio Cortella).

É como se vivêssemos como zumbis que não pensam em nada. Impressionante não!?

Uma pessoa PÓS MODERNA, entende que a razão não serve para nada, deseja apenas sentir a presença de Deus. “Fechar os olhos e chupar os dentes” Luiz Sayão.

Quem nunca ouviu dizer: “Fulano ficou doido de tanto estudar!”

Não parece absurdo alguém ser chamado de louco porque esta em busca de conhecimento? Depende, se você entende que conhecimento não serve para nada, realmente é insano buscar tal.

Quanto ao espiritual, aceitamos apenas ou valorizamos demais as emoções e sentimentos. Ninguém mais diz que ouviu argumentos que ele não teve como negar ou lendo a bíblia se converteu como St. Agostinho. Afinal o evangelho é por natureza um chamado. Mas o comum que virou uma espécie de “necessário”, é que tenhamos uma sensação diferente, um acontecimento fora do normal ou o famoso “mistério”, para a conversão ou experiência com Deus.

Deixemos de proza e vamos para o assunto:

A Bíblia da base para confiarmos em nossas sensações?

Alguns quando sentem algo, um calafrio, tem impressão sobre algum assunto, não hesitam em dizer:

“Fui revelado pelo Espirito,”
“Deus está me incomodando”
“To sentindo alguma coisa”

Afinal o que a bíblia diz sobre confiabilidade de sensações?

EMPIRISMO

2 Reis 3.22-24

“Quando se levantaram logo cedo na manhã seguinte, o sol refletia na água. Para os moabitas que estavam defronte dela, a ÁGUA PARECIA VERMELHA ― como sangue. “É sangue!”, gritaram.
“Os reis lutaram entre si e se mataram. Agora, ao saque, Moabe!”
Mas quando os moabitas chegaram ao acampamento de Israel, os israelitas os atacaram e os puseram em fuga. E os israelitas invadiram o território e arrasaram os moabitas.”

Temos aqui o relato de que a água “PARECIA” como sangue por causa do reflexo do sol. Os Moabitas foram enganados por seus olhos, pensaram ver algo que não existia!

Mateus 14.25-27

“Alta madrugada Jesus dirigiu-se a eles, andando sobre o mar. Quando o viram andando sobre o mar, ficaram aterrorizados e disseram: ‘É UM FANTASMA!’. E gritaram de medo. Mas Jesus imediatamente lhes disse: ‘Coragem! Sou eu. Não tenham medo!”.

Os apóstolos pensaram ter visto um fantasma, quando na verdade estavam observando Jesus. Até os apóstolos foram enganados por seus sentidos, mostrando que até eles estavam às vezes enganados em suas percepções. Não quero dizer que ao escrever, Mateus estivesse enganado ou ainda escreveu confiando em suas sensações. A passagem é um testemunho infalível, inspirada pelo Espírito Santo, dos acontecimentos, que no caso, relata como os discípulos se enganaram, incluindo Mateus.

João 12.28-29

“Pai, glorifica o teu nome!’ Então veio uma voz dos céus:
‘Eu já o glorifiquei e o glorificarei novamente’. A MULTIDÃO QUE ALI ESTAVA E A OUVIU, DISSE QUE TINHA TROVEJADO; OUTROS DISSERAM QUE UM ANJO LHE TINHA FALADO”.

Então, eles ouviram um trovão, Anjo ou a voz de Deus? Todos que ali estavam, se confundiram e não chegaram a um consenso. As pessoas amparadas por suas percepções estavam unânimes em suas interpretações errôneas. Eu e você, com acesso a infabilidade das escrituras, sabemos que foi Deus quem havia falado. Aproveitemos esta rica oportunidade.

1 João 1.1-3

“O que era desde o princípio, o que OUVIMOS, o que VIMOS com os nossos OLHOS, o que temos contemplado, e as nossas MÃOS TOCARAM da Palavra da vida
(Porque a vida foi manifestada, e nós a VIMOS, e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e nos foi manifestada);
O que VIMOS e OUVIMOS, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo.
Estas coisas vos escrevemos, PARA QUE O VOSSO GOZO SE CUMPRA.”

Esta é a passagem favorita dos empiristas, dizendo que todos temos de VER, SENTIR,TOCAR COM AS MÃOS, mas será se aqui prova realmente o que eles defendem?

Se entendermos o contexto, veremos que o propósito de João aqui, assim como no evangelho (Jo 1), é dizer que o que era no principio, ou seja, o verbo (Jo 1), que todos nós (apóstolos) presenciamos seu ministério terreno, o projeto da redenção, te anunciamos através destas palavras. Presenciamos a vida e anunciamos palavra de vida eterna. Em outras palavras, testifico minhas palavras uma vez que fui testemunha ocular dos fatos.

Se ainda não nos convencemos, voltamos aos primórdios, aos fundamentos.

O que é fé?

“Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem. Hebreus 11:1”

Em apenas uma frase temos resumido o que é fé. Poderíamos sem dúvida alguma acrescentar alguns verbos de correlação sem ferir ou estrangular o texto:

“fé é as prova das coisas que não se vê, não se sente, não se percebe, não se escuta....”

Gostaria de terminar, se é que ainda não ficou claro o quanto prejudicial uma religião empírica pode ser, com uma exortação final sobre uma lógica evolução escatológica do quadro que aflitos presenciamos. Já ouvi argumentos que dizem que o que comprovam estas práticas ou buscas, são os resultados alcançados:

“deu certo com fulano”
 “aconteceu com siclano”
“minha vida financeira mudou”
“deus ta agindo grandemente!”

O que João e Mateus nos diz novamente é que falsos profetas e o próprio Anti-Cristo, vai operar milagres grandiosos que irão enganar as nações.

“E a besta foi presa, e com ela o falso profeta, que diante dela FIZERA OS SINAIS, com que enganou os que receberam o sinal da besta, e adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre. Apocalipse 19:20”

“Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não PROFETIZAMOS nós em teu nome? e em teu nome não EXPULSAMOS DEMÔNIOS? e em teu nome não FIZEMOS MUITAS MARAVILHAS?
E então lhes direi abertamente: NUNCA VOS CONHECI; APARTAI-VOS DE MIM, vós que praticais a iniqüidade. Mateus 7:22-23”

Portanto, resultados não comprovam a veracidade destas doutrinas, antes, a leitura fiel da Palavra de Deus.

Abandonemos e pelo discernimento do Espírito Santo possamos repudiar igrejas pragmáticas, empíricas, norteadas por um evangelho espúrio (Gal 1:6), que perdeu a verdade da palavra de Deus. Se assim eles desejam, vamos continuar sim, com nossas igrejas “frias” e “antiquadas”, se Deus assim nos permitir (Tg 4:13-17)!

“Porque me viu, você creu? Felizes os que não viram e creram”. João 20.29


PEDRO FERNANDES

quinta-feira, 18 de julho de 2013

TA AMARRADO!

























Talvez de tanto ouvirmos falar, não só este mas, tantos chavões mágicos do tipo “Tá amarrado”, vemos que muito mais do que Teológica, vivemos uma “Igreja Cultural”. Falou o povo gostou, virou “divino”.

Mas e o diabo está amarrado ou precisamos caprichar mais?

Vejamos algumas passagens bíblicas, talvez tenhamos uma luz que nos guie neste assunto tão polêmico, pois envolve várias posições teológicas, uma delas seria a questão do Milênio (Ap 20), que não é nosso tema agora, vejamos apenas outras implicações.

Primeiro é preciso dizer que diabo não é um SUBSTANTIVO, mas um ADJETIVO!

Não conhecemos o nome deste que era por origem um Querubim. Tudo que temos na bíblia são apenas adjetivos que dão “qualidade” ao substantivo, se é podemos falar assim do “tinhoso”, que seria mais um adjetivo popular. Vejamos alguns adjetivos bíblicos:

  • ·         abadom - Ap 9:11, significa destruição
  • ·         acusador - Ap 12:10
  • ·         adversário - 1 Pd 5:8
  • ·         anjo de luz - 2 Co 11:14
  • ·         anjo do abismo - Ap 9:11
  • ·         apoliom - Ap 9:11, destruidor
  • ·         belial - 2 Co 6:15
  • ·         belzebu - Mt 12:24
  • ·         deus deste mundo - 1 Co 4:4
  • ·         diabo - Mt 4:1, vem de "bode"
  • ·         dragão - Ap 12:7
  • ·         dragão vermelho - Ap 12:3
  • ·         espírito do anticristo - 1 Jo 4:3
  • ·         espírito que atua nos filhos da desobediência - Ef 2:2
  • ·         homicida - Jo 8:44
  • ·         imperador da morte - Hb 2:14
  • ·         inimigo - Mt 13:39
  • ·         ladrão - Jo 10:10
  • ·         leão - 1 Pd 5:8
  • ·         lobo - Jo 10:12
  • ·         lúcifer - Is 14:12, aparece assim em algumas
traduções da expressão "estrela brilhante"
  • ·         maligno - Mt 13:19
  • ·         mentiroso - Jo 8:44
  • ·         mercenário - Jo 10:12
  • ·         pai da mentira - Jo 8:44
  • ·         poder das trevas - Cl 1:13
  • ·         príncipe das trevas - Ef 6:12
  • ·         príncipe deste mundo - Jo 12:31
  • ·         príncipe dos poderes do ar - Ef 2:2
  • ·         querubim protetor - Ez 28:16
  • ·         querubim ungido - Ez 28:14
  • ·         rei de Tiro - Ez 28:12
  • ·         satanás - Jo 13:27, significa adversário, acusador
  • ·         antiga serpente - Ap 12:9
  • ·         tentador - Mt 4:3
  • ·         valente - Lc 11:21


É por certo que não teríamos relato de seu verdadeiro nome, pois isto é um privilégio! Deus conhece as estrelas pela nome (Is 40:26) e talvez nesta que, seja parábola, seja um fato real (alguns teólogos sustentam ser um fato, pois em suas parábolas, Jesus não costuma citar nomes próprios para os personagens), mas sabemos apenas o nome do honrado que é o pobre Lazaro (Lc 16:19). O rico porém em perdição eterna, teve seu nome no esquecimento.

“Desapareça a sua posteridade, O SEU NOME SEJA APAGADO na seguinte geração. Salmos 109:13”

“Repreendeste as nações, destruíste os ímpios; APAGASTE O SEU NOME PARA SEMPRE e eternamente. Salmos 9:5”

Vejamos algumas passagens:

“E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Mateus 28:18”

Parece que antes a pregação da palavra de Deus era restrito a Israel, como que uma barreira que impedisse o progresso para outras nações (Ef 2:14). O caminho que Jesus percorre estaria sempre ligado a Judeia, Jerusalém, Cafarnaum, Nazareth, etc... Quando Jesus envia os doze para fazer missões (Mat 10:5) pede explicitamente que não tomem rumo de gentios, “não saiam do seu quadrado!”

Mas porque será estas ordens de Jesus?

Será se o plano da redenção nunca contemplou outros povos? Jesus veio apenas para Israel?

“Ainda tenho OUTRAS OVELHAS QUE NÃO SÃO DESTE APRISCO; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor. João 10:16”

Mas porque então que Jesus diz estas coisas, será se ainda não podiam?

“Ou, como pode alguém entrar em casa do HOMEM VALENTE (diabo), e furtar os seus bens, se primeiro não AMARRAR O VALENTE, saqueando então a sua casa? Mateus 12:29”

Ué, mas o valente está ou não amarrado? Ou quando ele foi ou será amarrado?

“E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte (Jesus na Cruz) ANIQUILASSE O QUE TINHA O IMPÉRIO DA MORTE, ISTO É, O DIABO; Hebreus 2:14”

“Aniquilasse” aqui é literal, é extinguir, destruir totalmente. O diabo então foi TOTALMENTE destruído na cruz, ele foi amarrado por Jesus na cruz do calvário. Em Genesis 3:15, Deus diz a satanás que ele morderia o calcanhar do “descendente” (Gl 4:16) da mulher e Ele pisaria no seu calcanhar. Vejo pessoas fazendo em seus “shows da fé” dizendo: “Pisa na cabeça do tinhoso”. Jesus fez por mim isto na cruz, pois por minhas próprias forças ou poderes miraculosos teria o mesmo destino dele, tormento eterno (Mat 25:41). O fato e que na Cruz Jesus foi morto pela “picada do diabo” que realmente o matou, porém ao mesmo tempo em que foi picado, pisou e “aniquilou” o diabo na cruz.

Ainda poderíamos ter dúvidas em quanto este “efeito” destruidor seria realmente aplicado.

Então vejamos quando isto de fato aconteceu:

AGORA é o juízo deste mundo; AGORA será expulso o príncipe deste mundo. João 12:31”

Quando será expulso o príncipe deste mundo? Não diz quando Eu tornar a voltar mas diz de maneira clara e explicita que AGORA, o príncipe deste mundo será expulso, aniquilado e destruído, este príncipe, a saber, a antiga serpente o diabo (Ap 12:9).

Caminhando para o final, Paulo em sua carta aos colossenses nos dá ricas informações inspiradas pelo Espirito Santo:

“Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, CRAVANDO-A NA CRUZ.
E, DESPOJANDO OS PRINCIPADOS E POTESTADES, OS EXPÔS PUBLICAMENTE E DELES TRIUNFOU EM SI MESMO.
Colossenses 2:14-15”

Paulo usa aqui termos militares. Existia um escrito de dívida contra eu e você. E esta passagem esperançosa, parece uma batalha militar em que Jesus na cruz triunfa de seus inimigos (principados e potestades) e expõem eles publicamente. Lembramos aqui, a palavra “despojar” significa que após uma batalha vitoriosa, o povo vencedor numa guerra geralmente pegaria as mulheres daquele povo, seus bens e posses, voltaria para casa com os homens derrotados feitos de escravos. Em quase todas as ocasiões, pelados e acorrentados, desfilariam publicamente no território inimigo como fracassados e perdidos para o fim de suas vidas, DESPOJADOS então publicamente.

É evidente que o diabo já está há mais de 2000 mil e poucos anos, acorrentado, aniquilado, destruído. Não digo com isso que ele não pode mais agir, preparar ciladas, mas não pode mais enganar as nações, impedir que o evangelho da salvação se propague. Agora podemos pregar o evangelho entre os povos, outrora estávamos impedidos. O “tinhoso” perdeu a função de diabo e acusador, como no caso de Jó. Ele não tem mais esta função ou poder, para isto ele está totalmente impedido pois esta curiosamente “AMARRADO!”

“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.
Mateus 28:19-20”


PEDRO FERNANDES 18/07/2013

sexta-feira, 12 de julho de 2013

TO MORRENDO DE VONTADE DE VIVER!



Tenho problemas em ouvir o termo “Vamos Evangelizar”, sempre nos remete a pregar para “Descrentes”, enquanto todos nos convertidos ou não precisamos de ouvir o Evangelho de Deus, nossa “Agua viva” (Jo 4:14), que nos mantem de pé, firmes e inabaláveis.

Aproveitando o ficar de pé, nos leva ao nosso ponto:

O que Paulo quer dizer com “E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, Efésios 2:1-2”?

Talvez tenhamos perdido de vista o evangelho da Graça, e pintamos um Cristo distorcido que lembra de longe o que descreve a Bíblia. É como o repórter que pediu para o grafiteiro pintar o “jesus” que ele conhecia, pintou de um jeito, veio outro e quis corrigir, após feito, veio o terceiro e disse “é evidente que jesus não é assim”, e fez a sua correção....Após um dia de pintura, o resultado se parece com a realidade de nossas igrejas: uma imagem de um jesus distorcido, bem diferente do que as sagradas escrituras nos revelam.

A epístola de Hebreus diz assim:

Hebreus 2:3. Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma TÃO GRANDE SALVAÇÃO, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram; 

Tão grande salvação” só é destacada se reconhecemos de verdade o exato termo de “TÃO GRANDE PERDIÇÃO.”

Afinal o que significa, “Mortos em nossas ofensas e pecados”?

Os reformados costumam usar o termo “TOTAL DEPRAVAÇÃO”, para aqueles que ainda não provaram os poderes do mundo vindouro (Heb 6:5), estando num estado inerte em relação a busca por sua salvação (Rom 3:11), ou ainda inerte e realmente IMPOSSIBILITADO de voltar a vida!

Afinal, quem já foi a um velório sabe que no caixão, o defunto não pode sair daquela condição, não pode ouvir os hinos fúnebres cantados e então voltar a viver, ou simplesmente se comover com as palavras do Pastor durante o enterro e no meio do sepultamento dizer: “Ei! Pera ai, eu me comovi com a pregação, com os louvores e decidi voltar a viver”!

Não parece com a realidade dos enterros “tradicionais”. De verdade respondamos, um morto pode voltar a viver?

Ou ainda uma pergunta ainda mais oportuna que todo mundo naturalmente faria num velório, já que estamos falando de mortos. Como este senhor(a), veio a falecer?

A resposta é clara e evidente.

Primeiro a ser morto na história da humanidade foram Adão e Eva. Veja os fatos (quase um programa do Datena):

“E ordenou o SENHOR Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás. Gênesis 2:16-17”

E assim posteriormente em transgressão a lei de Deus, que é naturalmente o primeiro pecado registrado por ordem bíblica, cometido pelo homem, pela promessa de Deus, morre espiritualmente e morreria fisicamente, afinal “O salário do pecado é a morte” Rom 6:23.

Uma pergunta pertinente neste caso seria o que nós temos a ver com isso?

A transgressão de Adão neste ponto é fatal e o pior é “hereditário”. De forma que sua atitude foi passada de geração em geração. Nascemos em pecado como Davi dirá mais tarde:

Eis que em pecado fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe. Salmos 51:5”

Veja nossa natureza pecaminosa, até em crianças vemos o egoísmo natural em guerra as vezes por um brinquedo que nenhum dos dois que brigam tem a menor vontade de brincar. Nascemos em pecado. Adão como nosso representante, não é somente quem pecou por todos nós, é que qualquer um que tivesse em sua posição também pecaria, em semelhança com Barrabás, todos os homems pecadores que se mantem em pecado são representados por ele negando a Jesus em função do pecado do mundo.

Todos nós nascemos pecadores!

“Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a TODOS OS HOMENS POR ISSO QUE TODOS PECARAM. Romanos 5:12”

Quando dizemos que somos pecadores ou totalmente depravados, não digo que o homem é tão ruim quanto ele poderia ser, na verdade significa que TODAS as faculdades foram afetadas. O homem pecador ainda faz boas obras, como o estuprador que mesmo assassino, ainda pode ter amor por sua mãe ou dar doces para as crianças vizinhas. Jesus reconheceu que mesmo os perversos podem fazer o bem, quando disse “Se fizerdes o bem aos que vos fazem o bem, qual é a vossa recompensa? Até os pecadores fazem isso (Lucas 6:33)”. É através da graça comum de Deus que Ele restringe a maldade em todos (2 Tessalonicenses 2:7) e possibilita que eles possam fazer o bem relativo. Mas mesmo o incrédulo reconhece a pecaminosidade do homem. Porém toda boa obra que fazemos é pecaminosa perante Deus, para fazermos boas obras de verdade, precisamos ter a motivação correta que é dar glória a Deus.

Quando alguns pregam a conversão, ou pregam o “evangelho das obras” (Gal 1:6), tentam pregar o pecado do homem como uma pessoa se afogando no mar. Ele está batendo seus braços e pernas, tentando manter sua cabeça fora d’água. Ele precisa de ajuda; seus pulmões estão se enchendo de água, mas ele ainda está vivo e capaz de fazer algo para ajudar a si mesmo. Jesus aparece em um bote e joga ao homem afogando um salva vidas. Então ele pode “decidir se salvar ou morrer afogado”. O homem alcança e segura o salva-vidas por sua própria fé e força. Então, Jesus o puxa seguramente para o bote, que segue para a vida eterna. Vemos esta realidade de maneira bem diferente. Na verdade vemos em Efésios 2 este “Morto em suas ofensas e pecados” como um náufrago no fundo do mar, TOTALMENTE morto, desaparecido, sem nenhuma possibilidade de resgate ou de voltar a vida.

Bem mais coerente não acha? A visão de morto, batendo as mãos gritando por salvação é totalmente bizarra!

Lembramos de Jesus e Lazaro em João 11, Lazaro não podia cooperar com sua volta a vida tendo fé para “Fazer sua Parte”. Na passagem, nossa única parte neste mistério é “retirando a pedra”, que fazemos ao pregarmos com fidelidade a palavra de Deus. O milagre vem de Jesus, o ressuscitar não vem pelo “Poder de nossas palavras ou “Unção do pregador”, mas exclusivamente pelo ouvir a palavra de Deus, ele salva e ressuscita, a minha palavra não.

Vamos ver o que Jeremias pode nos dizer:

“Pode, acaso, o etíope mudar a sua pele ou o leopardo, as suas manchas?
Então, não poderíeis fazer o bem, estando acostumados a fazer o mal.” (Jeremias 13:23).

Quanto a este texto Spurgeon, um dos maiores pregadores fiéis da palavra de Deus escreveu de maneira brilhante:

“…Você não poderia tornar um homem negro em branco, apesar de você poder tornar um homem branco em negro. Você pode fazer o que quiser por meio de corrupção, mas você não pode fazer nada através de correção. Você pode se fazer sujo pelo pecado, mas você não pode se fazer limpo espiritualmente por si mesmo, faça o que fizer. Existe uma facilidade em ir para baixo; você pode pular para dentro de um precipício bastante rápido, mas quem poderia ficar ao fundo de um alto despenhadeiro e saltar para o topo de um só pulo? O homem pode descer contra sua vontade, mas ele não pode subir mesmo com sua vontade. Você pode fazer o mal muito facilmente, você pode fazê-lo com as duas mãos, gananciosamente e faze-lo de novo e de novo e não se cansar dele; mas retornar ao caminho correto, isso é difícil.4”

“Charles Haddon Spurgeon, Spurgeon sobre os Cinco Pontos (MacDill AFB, FL: Tyndale Bible Society, n.d.), 99”

É preciso um milagre para que um morto volte a viver, é preciso fidelidade a palavra de Deus na pregação, precisamos de mais pregações expositivas, de forma que pela boca do pregador são proferidas palavras divinas, palavras cheias de poder e vida!



PEDRO FERNANDES 12/07/2013

quinta-feira, 11 de julho de 2013

JOÃO CALVINO...

Em comemoração ao aniversário do reformador JOÃO CALVINO (Noyon, 10 de julho de 1509), um dos maiores expoentes da reforma protestante, resolvemos fazer este post em homenagem a este grande homem de Deus.


Pequena Biografia de João calvino por Jonh Piper...




O que é intrigante sobre João Calvino?



Grande parte da cristandade celebra os 500 anos do nascimento de João Calvino neste ano. Infelizmente, as imagens populares que se tem do reformador francês são muitas vezes distorcidas, cercadas por mitos que não representam o verdadeiro Calvino e seu decisivo ministério de quase 25 anos na cidade suíça de Genebra. Na tabela abaixo, oferecemos ao leitor um rápido panorama dos principais mitos construídos em torno de Calvino, e o quadro real que emerge do estudo sério de sua vida e influência na igreja e sociedade ocidental.

Mito: Calvino inventou a doutrina da predestinação.

Fato: Entre outros, Agostinho, Anselmo, Aquino, Lutero e Zwinglio ensinaram e escreveram sobre a doutrina da predestinação antes de Calvino, enfatizando a livre graça de Deus triunfando sobre a miséria e escravidão ao pecado.

Mito: A doutrina da predestinação é central na teologia de Calvino.

Fato: Em seus escritos, especialmente nos comentários, Calvino trata do tópico quando o texto bíblico exige. E como alguns eruditos têm sugerido, o tema central de sua teologia parece ser a união mística do fiel com Cristo.

Mito: Calvino não tinha interesse em missões.

Fato: Entre 1555 e 1562 um total de 118 missionários foram enviados de Genebra para o exterior – um número muito superior ao de muitas agências missionárias da atualidade. E os primeiros mártires da fé evangélica nas Américas foram enviados por Calvino ao Brasil para encontrar um lugar de refúgio para os reformados perseguidos na Europa e evangelizar os índios.

Mito: A crença na predestinação desestimula a oração.

Fato: Calvino escreveu mais sobre a oração do que a predestinação nas Institutas, enfatizando a oração como um meio de graça por meio do qual a vontade de Deus é realizada e suas bênçãos são derramadas.

Mito: Calvino é o pai do capitalismo.

Fato: As forças que moldaram o capitalismo moderno já estavam presentes na cultura ocidental cerca de 100 anos antes da reforma. O que Calvino valorizou em seus escritos foi o estudo, o trabalho, a frugalidade, a disciplina e a vocação como meios de superar a pobreza. Ele não condenou a obtenção de lucros advindos do trabalho honesto.

Mito: Calvino foi o ditador de Genebra.

Fato: Ele tinha pouca influência sobre as decisões acerca do ordenamento civil da cidade e não tinha direito de voto em decisões políticas ou eclesiásticas no conselho municipal. Sua influência era persuasiva, por meio de seus sermões e escritos. Em países influenciados pelo pensamento calvinista não surgiram ditadores, nem nas esferas políticas muito menos nas eclesiásticas.

Mito: Calvino mandou matar Miguel Serveto.

Fato: Serveto foi executado por ordem do conselho municipal de Genebra por heresia, especialmente por negar a doutrina da Trindade. Ele havia sido condenado pelas mesmas razões por dois tribunais católicos, só escapando da morte por ter fugido da França. Inexplicavelmente ele foi para Genebra. No fim, todos os reformadores europeus apoiaram unanimemente a decisão do conselho de Genebra.

Mito: Os ensinos de Calvino são social e politicamente alienantes.

Fato: Pode-se ver a influência do pensamento de Calvino na revolução puritana de 1641 e na primeira deposição e execução de um rei tirano em 1649, na Inglaterra; no surgimento do governo republicano (com a divisão e alternância do poder, além de ênfase no pacto social); na revolução americana de 1776; na libertação dos escravos e na defesa da liberdade de imprensa.

Mito: Calvino não tinha interesse em educação.

Fato: Calvino não só inaugurou uma das primeiras escolas primárias da Europa como ajudou a fundar a Universidade de Genebra, em 1559. Algumas das mais importantes universidades do ocidente, como Harvard, Yale e Princeton foram fundadas por influência dos conceitos educacionais do reformador francês. A imagem permanente associada às igrejas reformadas é que estas sempre têm uma escola ao lado.

Mito: Os ensinos de Calvino não são bíblicos.

Fato: Calvino enfatizou fortemente a autoridade e prioridade das Escrituras e praticamente inaugurou o método histórico-gramatical de interpretação bíblica. Escreveu comentários sobre quase todo o Novo Testamento e grande parte do Antigo Testamento, além de milhares de sermões. E sua grande obra foi as Institutas da Religião Cristã, que seria “uma chave abrindo caminho para todos os filhos de Deus num entendimento bom e correto das Escrituras Sagradas”. O reformador francês lutou para que toda a sua cosmovisão estivesse debaixo da autoridade da Bíblia.

Não quero tratar Calvino de forma não-crítica ou iconográfica. Ele era consciente de suas fraquezas e pecados, e suas muitas orações preservadas dão testemunho de sua humildade e dependência da graça abundante de Deus em Jesus Cristo. O que almejo é levar o amado leitor a deixar de lado as caricaturas e ir direto à fonte, estudando e meditando nas obras de Calvino, reconhecendo-o e levando-o a sério como mestre da igreja (praeceptor eccleisiae). Os benefícios de tal estudo serão incalculáveis para sua vida e para aqueles ao seu redor.

Agradeço aos amigos Augustus Nicodemus e Solano Portela por sugestões acrescentadas a esta tabela.

Fonte: 

Artigo de Franklin Ferreira. Cedido gentilmente para ser postado no Voltemos ao Evangelho.


quarta-feira, 10 de julho de 2013

DECRETE SUA BENÇÃO CRENTE!



Pois é, já vimos vários artigos sobre este tema, alguns bem ásperos inclusive. É evidente que não concordamos com estas inversões de valores, “aceite a Jesus Cristo e sua vida vai mudar”, “faça isso ou aquilo e você vai alcançar sua benção”, “Decrete com fé o que almeja e vai alcançar”, “Tenha bons pensamentos, pensamento ruim só traz coisa ruim”.

Da uma olhada nas canções que louvamos na igreja:

"olha pra mim..."
"hoje o meu milagre..."
"eu quero de volta o que é meu..."
“Prosperarei, Transbordarei”
"para a direita, para a esquerda, por todo lado sou abençoado..."
 "eu vou viver uma virada..."
“Restitui, eu quero de volta o que é meu”
“A sua vitória hoje tem sabor de mel”

É claro que repudiamos qualquer distorção bíblica, que é nossa única fonte de Razão e Regra prática de fé.
Mas não podemos esquecer que existem muitos cristãos que estão “Sinceramente Enganados”, precisando de libertação (Jo 8:32), precisando de uma nova perspectiva das escrituras sagradas.

O movimento “Otimista” que domina o pátio dos seminários e palestras de inúmeras empresas no mundo, a muito tempo ganhou também os púlpitos de nossas igrejas, ridicularizando o cristianismo histórico, trazendo novas hermenêuticas e teologias espúrias e focada em movimentos empíricos.
Podemos dizer que o movimento Otimista de caráter religioso, afirma que sendo o universo criado por Deus, nele se torna possível conciliar o máximo de bem, o que faz dele "o melhor dos mundos possíveis". Um pensamento que provavelmente teve início no século XVII, combatida por Voltaire no século XVIII.

Ao mesmo tempo que precisamos de uma “Nova Reforma” dentro de nossas igrejas e no povo de Deus, baseados em escritos, livros, mídias, programas de televisão, produzidos por estes pregadores de prosperidade, dizemos também que existe uma corrente bem difícil de ser identificada que são pregadores que prometem uma vida melhor, mais “saudável” (como se doença fosse um privilégio de ímpios), não falam de dinheiro mas de maneira sutil, proposital ou não, distorcem as verdades bíblicas e suas promessas.

Neste ponto temos de concordar com Pe. Zezinho que diz em uma das suas canções: “A PAZ é dos milagres o milagre mais bonito que se possa desejar!”

Não vejo problemas com prosperidade, nem posso afirmar que não desejo uma condição de vida melhor, seria um hipócrita ao dize-lo. Não vejo problema em um cristão buscar ser prospero ou em dizer que Deus pode abençoar um irmão com bênçãos materiais. Deus promete isso também!

“A sua alma pousará no bem, e a sua semente herdará a terra. Salmos 25:13”

“Cantem e alegrem-se os que amam a minha justiça, e digam continuamente: O SENHOR seja engrandecido, O QUAL AMA A PROSPERIDADE DO SEU SERVO. Salmos 35:27”

PROSPERIDADE E RIQUEZAS HAVERÁ NA SUA CASA, e a sua justiça permanece para sempre. Salmos 112:3”

Porém vejamos que quase sempre na bíblia prosperidade é sinônimo de maldição, desgraça, ou denotando num sentido exortativo:

“Na PROSPERIDADE GASTAM OS SEUS DIAS, e num momento descem à sepultura. Jó 21:13”

O HOMEM RICO É SÁBIO AOS SEUS PRÓPRIOS OLHOS, mas o pobre que é entendido, o examina. Provérbios 28:11”

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. NÃO PODEIS SERVIR A DEUS E A MAMOM(dinheiro). Mateus 6:24”

 “Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, VAI, VENDE TUDO O QUE TENS E DÁ-O AOS POBRES, E TERÁS UM TESOURO NO CÉU; e vem, e segue-me. Mateus 19:21”

“E, outra vez vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que ENTRAR UM RICO NO REINO DE DEUS. Mateus 19:23-24”

Naquela época “Agulha” era uma porta bem pequena e estreita. Em geral ao anoitecer fechavam-se os portões principais das cidades e sobravam para os viajantes apenas as portas alternativas, ou seja, as agulhas. De forma que os viajantes que viam de camelo, que naturalmente serve para carregar bagagem, bens matérias, dinheiro, enfim, não podiam passar junto de seus animais, teriam de escolher passar ele sozinho ou Ninguém. De maneira nenhuma este viajante se desfaria de seus pertences em função daquela passagem. Dificilmente este viajante preferiria passar por aquela agulha, em função, se desfazer de suas posses. Dificilmente um rico, ou seja, pessoas apegadas aos seus bens, que almejam em primeiro lugar prosperidade, e outros mais, entrarão no Reino dos Céus. Veja que em Mateus 6:24, Jesus chega a comparar esta devoção do homem com dinheiro com uma idolatria, chama o dinheiro de Mamom, deus do dinheiro.

Fico preocupado e perplexo com a inversão de valores cada dia mais acentuada em nossos dias.

O que buscamos dentro da igreja?
O que buscamos no nosso trabalho?
O que buscamos com nossa família?

De fato, com o que nos preocupamos realmente?

Fizemos de Jesus Cristo, um “Meio” ao invés de um “Fim”. “Através” de Jesus conseguimos isto e aquilo, se converta e por meio da “Fé” sua vida vai mudar dizem alguns. Com uma inversão absurda, não entendemos que Jesus já é o “Fim” da nossa busca frenética por uma razão de existência. Buscamos sentido para tudo, e acabamos acreditando em tudo, por causa de uma necessidade humana em fundamentar nossa existência. Somos por natureza seres Religiosos (Rom 2:15), e tendemos a buscar explicações nem sempre por uma “sóbria decisão”, mas por aderência a uma tendência desfreada. Veja que os ateus possuem sua religião (embora pouco ortodoxa), os Céticos, Pregadores de prosperidade, Otimistas, Espiritas, Catolicos, Protestantes...

A pergunta é: Nossa religião é guiada por quê, ou por quem?

Vejamos o que a bíblia nos diz em relação a prosperidade e pobreza:

POBREZA BÍBLICA

Chassêr – Ter uma deficiência, carência de sabedoria e entendimento, insensatez, pobreza de espirito.
“Assim, o que adultera com uma mulher é INSENSATO (Chassêr); aquele que faz isso destrói a sua alma. Provérbios 6:32”

Misquén – Necessidade, Insuficiência e Indefeso.
“Terra em que comerás o pão sem ESCASSEZ (Misquén), e nada te faltará nela; terra cujas pedras são ferro, e de cujos montes tu cavarás o cobre. Deuteronômio 8:9”

Aní – Aflição, Tribulação, Castigado e Humilhado.
“[Oração de Davi] Inclina, SENHOR, os teus ouvidos, e ouve-me, porque estou NECESSITADO (Aní) e AFLITO (Aní). Salmos 86:1”

Dal – Fraco, Desprovido devido a incapacidade mental ou física.
“Não farás injustiça no juízo; não respeitarás o pobre, nem honrarás o poderoso; com justiça julgarás o teu próximo. Levítico 19:15”

Evion – Carência de Bens materiais, pobre financeiramente.

PROSPERIDADE BÍBLICA

Shalá – Tranquilidade, paz e Quietude.
“Orai pela paz de Jerusalém; PROSPERARÃO (Shalá) aqueles que te amam. Salmos 122:6”

Shéchel – Sabedoria, entendimento, prudência e discernimento.
“O SENHOR te dê tão-somente PRUDÊNCIA (Shéchel) e ENTENDIMENTO (Shéchel), e te instrua acerca de Israel; e isso para guardar a lei do SENHOR teu Deus. 1 Crônicas 22:12”

Tzalách – Ser mais capaz, crescer, florescer, adquirir responsabilidades.
“E o SENHOR estava com José, e foi homem PRÓSPERO (Tzalách); e estava na casa de seu senhor egípcio. Gênesis 39:2”

Ashír – Dinheiro, finanças. Palavra usada quase sempre em contexto exortativo. Jó 27:19 – Prov 28:11 – Ec 10:20 – Mt 19:23

Exatamente o oposto que escutamos na televisão não parece? Pelo que vimos, existe muito mais “Pobreza” na bíblia com que devemos nos preocupar, assim como existe muito mais “Prosperidade” na bíblia que devemos buscar diariamente.

Vamos perguntando:

E veio espanto sobre todos, e falavam uns com os outros, dizendo: QUE PALAVRA É ESTA, que até aos espíritos imundos manda com autoridade e poder, e eles saem? Lucas 4:36”

Nossa palavra tem mesmo poder?

De que palavra será que esta passagem nos remete (Lucas 4:36)? A palavra de Deus ou a nossa própria? Alguns pensam que se colocarmos o nome de Jesus em nossos chavões mágicos tudo vira realidade. Colocamos o nome de Jesus no lugar de “Sim salabin” ou “Abracadabra”. De maneira de que tudo o que pedimos com fé virará realidade.

Não creio que minhas palavras tenham poder ou como alguns dizem, “Na sua boca tem um milagre guardado, abra sua boca e faça acontecer”, creio que se Isaías tivesse vivo não concordaria com esta colocação.

“Então disse eu: Ai de mim! Pois estou perdido; PORQUE SOU UM HOMEM DE LÁBIOS IMPUROS, e habito no meio de um povo de IMPUROS LÁBIOS; Isaías 6:5”

Prefiro conferir que a palavra de Deus sim quando pregada de maneira fiel, com amor e ousadia de espirito tem poder para modificar realidades!

“Porque pela PALAVRA DE DEUS e pela oração é santificada. 1 Timóteo 4:5”
“Em Deus louvarei a sua palavra; no SENHOR louvarei A SUA PALAVRA. Salmos 56:10”

Veja esta passagem que é muito esclarecedora:

“Por isso também damos, sem cessar, graças a Deus, pois, havendo recebido de nós a palavra da pregação de Deus, a recebestes, NÃO COMO PALAVRA DE HOMENS, MAS (SEGUNDO É, NA VERDADE), COMO PALAVRA DE DEUS, a qual também opera em vós, os que crestes. 1 Tessalonicenses 2:13”

Não me entenda mal, não sou cético ou liberal, acredito que Deus possa atender nossos pedidos em orações (Mat 7:11) (Tiago 1:6), apenas prefiro imaginar meu relacionamento com Deus em minhas orações como de filho para Pai. Se um filho pede algo para seu Pai ele terá imenso prazer em atendê-lo (Mat 7:9), porém Deus examina antes o pedido pois como Pai nunca irá entregar uma faca afiada nas mãos de seu filho pequeno que pede tudo chorando, acreditando que pode ganhar, mas não sabe pedir e pede coisas fúteis, inúteis e perigosas (Tiago 4:3).

Veja o exemplo da oração de Paulo:

“Pedindo sempre em minhas orações que nalgum tempo, PELA VONTADE DE DEUS, se me ofereça boa ocasião de ir ter convosco. Romanos 1:10”
“Não quero, porém, irmãos, que ignoreis que muitas vezes propus ir ter convosco (MAS ATÉ AGORA TENHO SIDO IMPEDIDO) para também ter entre vós algum fruto, como também entre os demais gentios. Romanos 1:13”

Se Paulo vivesse nos nossos dias teria “Decretado em nome de Jesus” que iria naqueles dias visitar os irmãos de Roma, porém como não tinha fé e praticava uma teologia enganosa e antiquada preferiu se contentar com a VONTADE DE DEUS (vs 10) e vale lembrar que no versículos 13, ainda não teria sido desta vez que Paulo visitaria Roma como em seus planos (Tiago 4:13-15), acabou preso em Jerusalém e foi como prisioneiro.

Puxa, como parece diferente a posição bíblica, apostólica e do próprio Cristo em relação a prosperidade, determinismo e práticas contemporânea principalmente praticadas por igrejas neopentecostais, mas sem dúvida nenhuma, como um câncer arraigado em todo meio evangélico.

Lembremo-nos da oração ensinado por nosso Senhor Jesus Cristo que dizia:

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;
Venha o teu reino, SEJA FEITA A TUA VONTADE, ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU; Mateus 6:9-10”

Termino nos exortando com uma colocação:

“Quem crê em mim, COMO DIZ A ESCRITURA, RIOS DE ÁGUA VIVA CORRERÃO DO SEU VENTRE. João 7:38”

Apenas duas colocações:

1° Apenas se crermos em Jesus Cristo apenas, particularmente, unicamente, exclusivamente, como diz as sagradas escrituras, correrão RIOS DE AGUA VIVA, em nosso ventre!

2° Não estão fluindo RIOS DE AGUAS VIVAS no meio de nossas igrejas porque não estamos mais crendo em Jesus como diz as escrituras, no meio do caminho tropeçamos e perdemos de vista o Evangelho puro, simples, das Boas Novas, o verdadeiro EVANGELHO DA GRAÇA!



PEDRO FERNANDES 10/07/2013