domingo, 18 de agosto de 2013

EIS QUE TE DIGO VASO...!




Não são poucos os que já sofreram algum tipo de decepção quando falamos sobre esta nova “tendência” moderna nos cultos carismáticos, que no geral, estão recheados de revelação, profecias, visões do futuro e afins. Por outro lado também, existe uma boa parcela que estão “satisfeitos” com estes supostos dons e acham que isso faz parte de uma vida Cristã mais espiritualizada. Instaurado portanto, um grande dilema teológico.

Sobre Profecias e Profetas modernos gostaria de enumerar alguns pontos que talvez discordasse e outros que sem duvida faria algumas ressalvas importantes.

Precisamos desfazer a visão de profeta moderno que temos impregnado em nossas mentes. Os profetas da bíblia não são simplesmente alguém que “adivinhava” o futuro. Precisamos então ver as enumeras funções e características dos profetas da bíblia comparando com os nossos confusos profetas modernos.

Eu comungo da visão tradicional reformada ou “cessacionista”, portanto não creio que ainda exista dom de REVELAÇÃO em nossos dias. Vou enumerar 10 pontos para que nos ajude a entender um pouco mais sobre o nosso polêmico assunto:

1)      Os profetas neo-testamentários do 1° sec. tinham revelação certamente da parte de Deus, isto é inegável. Por exemplo, quando Mateus cita algumas passagens do antigo testamento e faz aplicações que nunca poderíamos compreender ou(e) fazer tal alusão em nossos dias (Mat 2:6-15-18-23). Porém existem mais características nas profecias bíblicas que precisão ser evidenciadas.

2)      Os profetas estavam escrevendo os fundamentos da fé cristã. Em outras palavras, os Dons de revelação eram necessários, pois eles estavam construindo o Cannon como conhecemos hoje, adicionado e (ou) rejeitando profecias.

“Por isso, quando ledes, podeis perceber a minha compreensão do MISTÉRIO DE CRISTO,
O qual noutros séculos não foi manifestado aos filhos dos homens, como agora tem sido REVELADO PELO ESPÍRITO aos seus santos APÓSTOLOS E PROFETAS; Efésios 3:4-5”

Veja que estes mistérios que foram revelados aos santos Apóstolos e Profetas produziam doutrina outrora desconhecida pelo povo de Deus. Os dons de revelação dados aqueles, tinham um firme propósito, edificar os fundamentos da fé Cristã, produzir doutrina. Dizer que ainda temos este dom de revelação é também dizer que o Cannon ainda esta aberto a novos livros e profecias inspiradas.

EDIFICADOS SOBRE O FUNDAMENTO DOS APÓSTOLOS E DOS PROFETAS, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; Efésios 2:20”

3)      Além de apenas “adivinhar” o futuro, os profetas tinham outro papel que é muito mais corriqueiro na história, o de admoestar, consolar e exortar seu povo. Leia os profetas do antigo testamento e verá o papel principal dos profetas bíblicos.

“E estenderei a minha mão contra JUDÁ, e contra todos os habitantes de JERUSALÉM, e exterminarei deste lugar o restante de Baal, e o nome dos sacerdotes dos ídolos, juntamente com os sacerdotes; SOFONIAS 1:4

“Ouvi, todos os povos, presta atenção, ó terra, e tudo o que nela há; E SEJA O SENHOR DEUS TESTEMUNHA CONTRA VÓS, o Senhor, desde o seu santo templo. MIQUÉIAS 1:2

“Porque o dia do Senhor está perto, sobre todos os gentios; COMO TU FIZESTE, ASSIM SE FARÁ CONTIGO; a tua recompensa voltará sobre a tua cabeça. OBADIAS 1:15

4)      As profecias dadas ao povo deveriam ser julgadas se fiéis as palavras de Deus (Dt 13). Quantas vezes o profeta poderia se enganar com uma profecia? Apenas uma única vez. 100% das vezes que se levantassem para falar deveriam estar corretos. Caso rejeitassem este falso profeta, este deveria ser apedrejado até a morte (Dt 13). Se alguém possui um dom de profecia, não poderá em hipótese alguma errar em seu uso, pois é evidente que se inspirado pelo Espírito Santo é infalível e inerrante.

Será se os profetas modernos teriam coragem de entrar neste critério? Teria mais profetas para morrer do que nossas pedras poderiam matar...

5)    Os profetas da bíblia não diziam coisas genéricas que caberiam com “qualquer tipo de camisa e com qualquer cor”.  Eles se levantavam e diziam: “eis que te digo da parte de Deus, vai acontecer isso na sua vida, desta forma”. Não precisamos muito trabalho para buscar nossas profecias modernas, onde o pregador diz que:

“Deus está me revelando que tem alguém aqui na igreja com a unha encravada!” E alguém na igreja se levanta e diz: “sou eu aqui!”...

“Deus está me revelando que tem alguém na igreja com problema financeiro!” E como não temos muitos endividados na igreja (gostaria que fosse verdade), apenas alguns se levantam e dizem: “É para mim pastor!”...

Podemos chamar estas profetadas de "profecias de probabilidade"?

6)      Profecia se é de Deus, não contraria a sua palavra. Deus não pode ser ilógico e ser contraventor de si mesmo.Veja o que o apostolo Paulo nos lembra sobre nosso tema:

“De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, SE É PROFECIA, SEJA ELA SEGUNDO A MEDIDA DA FÉ; Romanos 12:6”

O que significa profetizar segundo a proporção da fé? Será que significa que quem tem mais fé acerta mais o futuro ou profetiza melhor?  É certo que não! Pois isto feriria, como já exposto, o nosso ponto n° 4. Profetizar segundo a medida da nossa fé (Rom 12:6), significa que as profecias devem ser julgadas segundo os fundamentos, os alicerces já estabelecidos da fé cristã (Ef 3:4-5). Uma profecia não pode de maneira alguma ir contra os oráculos de Deus. Toda profecia deve ser julgada e passar pelo crivo final da bíblia.

7)      A única parte que a bíblia parece dizer sobre a cessação dos dons é 1 Cor 13:10 e ainda diz, se nossa interpretação é correta, que cessarão os dons apenas quando Jesus voltar em sua 2° vinda.

“Mas, QUANDO VIER O QUE É PERFEITO, então O QUE O É EM PARTE SERÁ ANIQUILADO. 1 Coríntios 13:10”

Eu não posso dizer que o dom de PROFECIA cessou, pois isto fere o contexto da carta aos coríntios, principalmente do cap. 12-14. O que afirmo é que o dom de REVELAÇÃO acabou, pois o seu propósito já terminou que eram os escritos do Novo Testamento. Não podemos fazer confusão entre revelação e profecia.

O que é de fato profetizar? E o que um profeta deveria fazer hoje?

“Mas o que PROFETIZA FALA AOS HOMENS, para EDIFICAÇÃO, EXORTAÇÃO E CONSOLAÇÃO. 1 Coríntios 14:3”

O dom de profecia hoje deveria estar servindo exatamente com o que o texto nos ensina: edificação, exortação e consolação. Este é o verdadeiro profeta! Em outras palavras ensinando, pregando fielmente a palavra de Deus, consolando através dos oráculos divinos, exortando a permanecermos firmes nos ensinamentos eternos de Deus.

8)      Se profetizar é apenas prever o futuro (já vimos que não faz o menor sentido) como poderíamos obedecer ao texto do apostolo Paulo:

“E profetizem dois ou três profetas, E OS OUTROS JULGUEM. 1 Coríntios 14:29”

Como poderemos julgar uma profecia quando esta se refere a acontecimentos futuros? Faz mais sentido no contexto, se entendermos que quando Paulo fala sobre Profeta e Profecia, diz sobre ensinamentos da palavra de Deus e os outros, os ouvintes, deverão estar julgando com a mesma se é verdadeiro ou falso.

9)      É bom dizer, e este é o ponto mais sério, que não é porque as pessoas acertam as profecias que elas são de Deus e prova sua aplicabilidade para nossos dias. Estas "profecias de probabilidade", hoje acerto e amanhã não, volta e meia vão funcionar. Eu posso profetizar que na África milhares de crianças morrerão de fome no ano que vem e nem por isso preciso dizer que minha profecia é inspirada ou divina concorda? Outro ponto é que, nos últimos dias, fazendo agora uma evolução escatológica, muitos profetizarão, expulsarão espíritos imundos, farão sinais e prodígios, coisas inacreditáveis e verdadeiras que talvez nunca antes visto e nem por isso deveremos acreditar ou achar que é sinal divino.

“Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não PROFETIZAMOS nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?

E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade. Mateus 7:22-23”


Eles não estavam alegando mentiras, certamente estes alegavam fatos reais, porém devemos submeter tudo em nossas vidas não a nossas experiências, pois enganoso é o coração do homem (Jr 17:9), mas confiar na palavra de Deus revelada, nossa única fonte segura.

10)   Será se este nosso novo modelo evangélico não esta tentando retornar ao Gnosticismo Cristão dos primeiros séculos? Apostolo João, Paulo e outros tiveram um problema sério com este grupo que diziam ter recebido conhecimento (Γνωσις: gnoses) diretamente do céu. Não entendiam Jesus como Deus e que a salvação só vem pelo conhecimento (Γνωσις: gnoses) recebido por alguns misteriosamente do infinito. Logo a perdição não viria pelo pecado, mas da ignorância perene do povo. Será que não estamos buscando novamente uma revelação através de “alguns espirituais” sobre a vontade de Deus para as nossas vidas? Poderíamos chamar estes “Profetas Modernos” de “Profetas Gnósticos”?

Mesmo com os argumentos alguns insistirão dizendo que:

“A profecia de Deus não é hipótese é um fato. Querendo ou não, Deus esta revelando através de seus servos os seus desejos para o povo.”

Talvez num mundo pós-moderno onde se pouco valoriza a razão, foi o suficiente para eliminar a necessidade de um estudo criterioso das sagradas escrituras como um GUIA SUFICIENTE para determinar nossos caminhos. Por uma supervalorização dos sentimentos e um pragmatismo religioso sem precedentes na história da igreja, é muito mais espiritual ouvir um “eis que te digo” de vez em quando do que perder tempo analisando os textos, estudando com profundidade as mensagens divinas que nos guiaram até aqui aos trancos e barrancos, mas, certamente nunca vimos um precipício tão perigoso como este do famoso “eis que te digo”.

Diante desta eminente queda do povo de Deus buscando profetas por revelações extraordinárias assim como os pagãos buscavam as cartomantes e videntes (Dt 18:9-14), não temos outra opção mais favorável e esperançosa do que em um único som bradarmos novamente:

SOLA SCRIPTURA!


PEDRO FERNANDES