terça-feira, 3 de setembro de 2013

PEDRO TU ÉS PEDRA?





Esta é uma questão muito antiga e de mesma proporção discutida. Portanto meu interesse não é dar uma nova hermenêutica ao tema, mas sistematizar nosso pensamento em auxilio com a palavra de Deus.

TEXTO ÁUREO:

“Quem diz os homens ser o Filho do homem? E eles disseram: Uns, João Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas. Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; Mateus 16:13-18”

Tivemos a pouco novamente uma transição do papado romano, e nesta geração vimos talvez à maior quantidade de representantes máximos na igreja católica. A luz dos historiadores tiveram na história 265 papas, e sem duvida a pouco um dos mais expoentes, João Paulo II, que teve o terceiro maior pontificado de todos os tempos. Tamanho seu valor que em seu funeral contamos com mais de 200 chefes de estado e mais de dois milhões de pessoas. Julgo, portanto, altamente relevante nosso tema que é justamente expor a visão reformada majoritária sobre o papado romano.

Sobre Mt 16:18 quem é a pedra que Jesus se refere?

Existem três interpretações principais sobre o texto:

a.       Visão romana de que a pedra é Pedro;

Protestante em duas variáveis:

b.      A pedra é a “confissão” de Pedro revelada pelo Espírito;
c.       A pedra é Jesus.

Neste artigo gostaria de defender a terceira opção de que a pedra referida no texto não é outro se não o próprio Jesus. Ademais 10 argumentos que demonstram de maneira resumida este posicionamento:

1.       Texto original.

Este texto em que Jesus utiliza um trocadilho é mais evidente o jogo de palavras na língua em que foi escrito, no Grego.

“συ ει ΠΕΤΡΟΣ και επι ΤΑΥΤΗ τη ΠΕΤΡΑ οικοδομησω μου την εκκλησιαν”
“tu és PEDRO, e sobre ESTA PEDRA edificarei a minha igreja”

A palavra transliterada para Pedro é “Pétros” (πετρος) e para pedra é “Petra” (πετρα). Veja que o substantivo é trocado na segunda vez em que é utilizado trocando a vogal “o” para “a” (αΑλφα / οομικρον), alterando seu gênero de masculino para feminino. Ainda utiliza o pronome de indicação “esta” (ταυτη) no feminino, deixando claro que Petra não poderia estar se referindo a Petros, não concordando lógico e gramaticalmente em numero e gênero.

Alguns ainda dizem que Pedro significa "Rocha". Jesus interpreta diferente: “Tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro). (Jo 1:42)”. Então Cefas (Pedro) no aramaico, Jesus interpretou não como “Petra” mas como “Petros”. A palavra pedra (Petros) deriva-se de “Petra” e não “Petra” de “Petros”. “Petra” é o radical. Assim como Cristão deriva-se de Cristo e não Cristo deriva-se de Cristãos. Não é porque se tem a mesma raiz etimológica que “Petros” significa o mesmo que “Petra”. “Petros” significa “lasca de pedra” ou “pedra pequena”, posto que “Petra” significa “rocha”. Novamente, transliterado nosso texto ficaria assim: 

“Tu és PEDRINHA e sobre esta ROCHA edificarei a minha igreja”.

2.       Contexto favorável

Toda a perícope e o restante do contexto estão favoráveis a esta interpretação de que Jesus é a pedra pois o centro da conversa está centrada em Jesus.

a.       “13b - Quem dizem os homens ser o Filho do homem?” (Jesus é o centro do assunto);
b.      “15 - E vós, quem dizeis que eu sou?” (Jesus é o centro do assunto);

A correta interpretação de Pedro inspirado pelo Espírito Santo:

c.       “16b - Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.” (Jesus é o centro do assunto);

Logo em seguida diz que precisa ir para Jerusalém sofrer e o centro é novamente Jesus.

d.      “21 - Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, (...).” (Jesus é o centro do assunto);

Em seguida o capitulo imediato a este é o da transfiguração que continua centrada em Jesus.

3.       Se Jesus é a pedra porque usou a terceira pessoa para falar de si mesmo?

O questionamento é que ao usar “esta pedra” Jesus utiliza-se da terceira pessoa. Porque Jesus não diz: “sobre Mim edificarei minha igreja”? Não faz sentido este frágil argumento pois em vários outros textos ele se usa desta forma de linguagem para referir-se a Si:

“Jesus respondeu, e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei. Jo 2:19 (Jesus está na terceira pessoa);
“Eu sou a porta; Jo 10:9” (Jesus está na terceira pessoa);
“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; Jo 14:6a” (Jesus está na terceira pessoa);
“Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas.” Jo 10:11 (Jesus está na terceira pessoa).

4.       Se Jesus era a pedra como ele pode ser o construtor e a pedra ao mesmo tempo?

Este argumento é acompanhado dos que defendem Pedro ser a pedra, pois, não faz sentido Jesus ser o construtor e ainda ser o material da construção (Hb 3:4). Podemos chamar este exemplo de superposição de imagens. Em João 10 diz que Jesus é a porta do aprisco e diz também que ele também é o bom pastor. Faz sentido em apenas um parágrafo Jesus ser a porta e ao mesmo tempo ser o bom Pastor?

“Eu sou a porta; Jo 10:9”
“Eu sou o bom Pastor. Jo 3:11”

5.       O que Diz o Antigo testamento sobre a pedra?

No antigo testamento em nenhum lugar pedra representa homem, mas sempre Deus e sempre como figura profética de Cristo, salvo quando pedra é sinônimo de algum embaraço (Sl 91:12) que naturalmente é linguagem coloquial.

“Portanto assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse. Is 28:16”

“A pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se a cabeça da esquina. Salmos 118:22”

“E não tomarão de ti pedra para esquina, nem pedra para fundamentos, porque te tornarás em assolação perpétua, diz o Senhor. Jr 51:26”

“Dele sairá a pedra de esquina, dele à estaca, dele o arco de guerra, dele juntamente sairá todo o opressor. Zc 10:4”

6.       Quem era a pedra para o próprio Pedro?

“Então Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Principais do povo, e vós, anciãos de Israel: (...) Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina. At 4:8-11”

“E, chegando-vos para ele, pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, 1 Pe 2:4”

7.       Quem é a pedra para Paulo?

“Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.
1 Cor 3:11”


“E beberam todos de uma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a pedra era Cristo. 1 Cor 10:4”

“Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; Ef 2:20”

8.       A ideia que Pedro como pedra possui as chaves do céu.

Esta ideia de que as chaves foram dadas para Pedro é muito forte no romanismo. No próprio escudo do vaticano tem esta simbologia com duas chaves antepostas uma a outra. É contraditório pois este é justamente o argumento mas favorável de que a pedra é Jesus Cristo.

“E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus. Mt 16:19”

Em questão do “desligardes na terra será desligado no céu”, não se refere em questão apenas da “sacralicidade” ou “autoridade” da igreja na terra em função da pedra que dizem ser Pedro, mas claramente fazendo referência à disciplina eclesiástica como se vê dois capítulos a frente numa leitura responsável de todo o capitulo 18 de Mateus:

“Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu. Mt 18:18”

O contexto aqui é de disciplina. Porém no tocante as “chaves do céu” leiamos quem de fato possui as chaves do céu, e perceberemos que não pode ser Pedro a pedra, visto que aquele que possuir as chaves dos céus (Mt 16:19), este será a pedra indicada.

“E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre: Ap 3:7”

9.       Razões gerais para Pedro não ser papa.

a. Pedro não nomeou Matias para o lugar de Judas pois não possuía primazia reconhecida dentre os apóstolos (At 1:15);
b. Pedro obedece a ordem dos outros apóstolos quando foi enviado a pregar o evangelho em Samaria com João (At 8:14);
c. Primeiro concílio geral da igreja e não é Pedro que dirige este mas Tiago irmão de Jesus (Atos 15);
d. Todas as vezes que os apóstolos queriam saber quem era o maior entre eles ou quem era o líder dos 12, sempre Jesus os repreende em todas as ocasiões (Mt 18:1);
e. Pedro não é primaz de Jerusalém, se o fosse Paulo faltaria com ética quando diz que não existe um líder na igreja mas três colunas principais. E cita primeiro Tiago e Pedro por segundo (Gl 2:9);
f.  Paulo é o cabeça dos Gentios e não Pedro. (2 Cor 11:28) (Gl 2:7);
g. Pedro é repreendido por Paulo (Gl 2) e seria um absurdo inaceitável um inferior contrapor alguém em posição mais estimável. (Gl 2:11-14);
h. O próprio Pedro não se entendia como papa. Cornélio tenta se ajoelhar aos seus pés e Pedro sabiamente diz que ele é apenas um ser humano. (Atos 10:25);
i. Não existe uma hierarquia entre o povo de Deus, a ideia de um governo eclesiástico “episcopal” é no mínimo estranho aos demais ensinamentos cristãos. (Lc 22:26).

10.   Pedro representa a fragilidade humana.

Por fim, finalizo parafraseando Hernandes Dias Lopes, que ricamente nos dá razões “sólidas” (sem trocadilhos) de que Pedro não poderia em hipótese alguma ser a pedra ao qual se fundamenta a igreja de Cristo na terra:

Pedro instável. Pedro como uma “pedrinha” não é símbolo de estabilidade quando anda no mar da Galileia. (Mt 14:29-30)

Pedro contraditório. Logo em seguida da declaração de Pedro (Mt 16:18), poucos versículos a frente, contradiz suas colocações e ganha nome de satanás (Mt 18:23).

Pedro desprovido de entendimento. No monte da transfiguração (Mt 17), pedro não sabia o que falava pois equiparava Jesus aos representantes da Lei e dos Profetas (Elias e Moisés) ao ponto de o próprio Deus intervir com tais afirmações (Mt 17:5).

Pedro o autoconfiante. No senáculo, Jesus diz: “Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim...” (Mt 26:31) e Pedro o autoconfiante responde: “Ainda que todos se escandalizem em ti, eu nunca me escandalizarei (Mt 26:33)”. Para naquela mesma noite negar a Cristo por três vezes.

Pedro o dorminhoco. No Getsêmani Jesus faz a oração sacerdotal e pede que os discípulos orassem enquanto isso. Pedro não suportou nem por uma hora e Jesus volta e o encontra dormindo: “Então nem uma hora pudeste velar comigo? (Mt 26:40).

Pedro violento. Ainda no Getsêmani Jesus é preso. E o evangelho de Mateus relata o seguinte: “E eis que um dos que estavam com Jesus, estendendo a mão, puxou da espada e, ferindo o servo do sumo sacerdote, cortou-lhe uma orelha. (Mt 26:51)”. Jesus porém o advertiu: “Ou pensas tu que eu não poderia agora orar a meu Pai, e que ele não me daria mais de doze legiões de anjos (72.000 mil anjos)? (Mt 26:53)”. Não precisa dizer quem foi este descontrolado discípulo.

Pedro covarde. Após a prisão de jesus, Pedro para não ser percebido, se acovarda e acompanha tudo de longe. “Então, prendendo-o, o levaram, e o puseram em casa do sumo sacerdote. E Pedro seguia-o de longe. (Lc 22:54)”

Pedro o discípulo que nega a Jesus três vezes. Se Pedro é conhecido na bíblia não é por seu suposto papado, mas pela sua trinitária negação. Cada uma em um nível crescente de apostasia. Primeiro ele nega, segundo ele faz juramento de sua negação e por último pragueja blasfemando contra Jesus. (Mt 26:69-75)

Poderia a igreja eterna do Deus vivo ser edificada sobre a areia movediça do caráter humano?

Pedro, sois homem abençoado por Deus, separado para o colégio apostólico de Cristo, homem santo e exemplo para todos os cristãos que como tu são pecadores arrependidos. Mas me desculpe, Pedro, tu não és pedra e nem papa!


PEDRO FERNANDES