terça-feira, 5 de agosto de 2014

REI LEÃO E O REI DOS REIS



Em um raiar de sol daqueles que agradecemos a Deus por se estar vivo, nossa história começa com uma convocação de todo o reino animal a reverenciar o nascimento do futuro rei, o jovem SIMBA! Que maravilha! Me veio logo à mente imediatamente o nascimento de Jesus. Pensei em todos os seres angelicais curiosos com o acontecimento, as estrelas, as galáxias, o universo gemendo como nunca, em uniforme reverência, de outro lado esperneando, talvez gaguejando o cosmos diga: “será se é Ele? (Rm 8.22-23)” Entretanto em uma cerimônia bem mais simples do que a do Rei Leão, Jesus nasce em uma manjedoura entre os animais numa pequena hospedaria. Batizado com suco de fruta e aspergido um pouco de terra, Simba está pronto para cumprir seu propósito como futuro Rei. Jesus, como Simba, circuncidado ao oitavo dia, cumpre toda a lei como ele diz em seu sermão mais longo e belo (Mt 5.17). Apesar do infinito abismo entre os personagens, pretendo fazer uma analogia e veremos espantosas semelhanças entre o Rei Leão e o Rei dos Reis (Ap 19.16).

Texto Áureo:

“E os vinte e quatro anciãos, e os quatro animais, prostraram-se e adoraram a Deus, que estava assentado no trono, dizendo: Amém. Aleluia! Ap 19:4”

SIMBA APRENDE DE UM SÁBIO MESTRE

O Jovem Simba nasceu com apenas um proposito: ser o rei da pedra do reino. Mufasa seu pai, sem perda de tempo, explica logo cedo sobre o complexo ciclo da vida e como devemos respeitar a menor das formiguinhas, até o maior dos antílopes. Assunto um tanto estranho para se explicar a uma criança. É como se pegássemos um menino de pouca idade e a convidasse para uma divertida viagem sobre a tabela periódica e um gostoso bate-papo sobre física quântica e suas implicações práticas. Fantástico não? Da mesma forma Jesus pregando na palestina, tem em sua mente os mistérios do universo, das coisas celestiais, milhões de informações e apenas uma missão: fazer-se entender a pescadores e pessoas com limitações intelectuais. João Calvino ao se deparar com a linguagem de Jesus ensinando seus discípulos, principalmente sobre a santa ceia, chega a uma conclusão interessante:

“Se Deus, acomodando-se à tacanha capacidade dos homens, fala num estilo humilde e acessível, este método de ensino é desprezado como simples demais; porém, se ele se manifesta num estilo mais elevado, com vistas a imprimir maior autoridade a sua palavra, os homens, com o intuito de eximir-se de sua ignorância, dirão que ela e obscura demais. Como esses dois vícios são por demais prevalecentes no mundo, o Espirito Santo assim tempera seu estilo, para que a sublimidade das verdades que ele ensina não fique oculta daqueles que porventura sejam de uma capacidade mais débil, contanto que sejam de uma disposição submissa e dócil e tragam consigo um desejo solicito de ser instruídos” - J. Calvino, As institutas, L.8.1

Em outro lugar diz:

“Nas Escrituras, Deus balbucia a nós, fala-nos como uma ama fala a um bebê.” – J. Calvino, As institutas, L.3.3

Este exemplo nos é perfeito, pois, o Rei Leão ensina seu filho com o cuidado de um pai numa simplicidade fantástica, apontando a formiga, os antílopes, assim também, o Espirito Santo nos ensina todos os dias através da bíblia, “balbuciando” as verdades celestes, de maneira que nossa completa ignorância e falta de ânimo (Tg 1.8) para compreende-lo, sejam vencidos por sua graça em seu amor.

SCAR DO DIABO!

Outro personagem da história é Scar, irmão de Mufasa. Sempre intentando contra o rei. No filme faz o papel do adversário. Adversário de um plano natural que é o cerne da história. Scar como satanás (O termo grego Σατανάς aparece na Septuaginta, bem como na Tanakh, como adversário), não está em todos os lugares ao mesmo tempo, e nem pode executar seus planos sozinho, ele tem a ajuda de hienas. Assim como o diabo que tem a companhia de demônios, e como o apostolo revela, de dominadores do ar, principados e potestades (Ef 6.12). Scar trama a morte de Mufasa e Simba para poder assumir o lugar do Rei. No fundo talvez seja a motivação final de quase todos os nossos pecados: ASSUMIR O LUGAR DO REI. Quando não perdoamos alguém que nos fez algum mal por exemplo, e que esteja completamente arrependido, no fundo estamos quebrando o primeiro mandamento, querendo usurpar o lugar de Deus. Nós nos achamos especiais demais, soberanos demais, poderosos demais, corretos demais...Mas lembre-se, todo pecado e falha no fim é cometido contra Deus e não contra eu ou você (Sl 51.4). O perdão que interessa é o de Deus e não o meu ou o seu. Não se coloque na posição de “liberar perdão” pois acredite, não interessa realmente o nosso perdão, pois existe um Deus e ele não sou e nem você. Edward Alexander Crowley (1875 – 1947/Inglaterra), mais conhecido como, Aleister Crowleyé, fundou o movimento Thelêmico no sul da Itália. Ele teve no Brasil um expoente de suas ideias, o baiano, Raul Seixas.  Crowleyé, sem dúvida foi o maior expoente do ocultismo do sec. XX e suas ideias foram rapidamente propagadas pelo mundo. O livro da lei, repetida por “Rauzito” em algumas canções, foi seu best seller vendendo em pouco tempo mais de 4 milhões de exemplares em todo o mundo. Raul diz em sua canção A lei (1988 – álbum: A Pedra do Gênesis) ou ainda Sociedade alternativa (1974 – álbum: Gita) que “não existe deus senão o próprio homem”. No fundo Scar querendo assumir a força o lugar do Rei, se parece muito com todos nós querendo vilipendiar um lugar inalcançável.

UM MUNDO COLORIDO

A história segue e ainda garoto, Simba tinha uma grande ilusão do que seria seu reinado. Ele parecia viver num mundo colorido, um mundo de ilusão. Bem diferente de jesus que aos doze anos de idade sabia exatamente seu proposito e com certeza tinha uma visão de reinado diferente de Simba (Lc 2.49). Uma ilusão natural inclusive, para alguém que nasceu no palácio, debaixo dos cuidados do rei. Simba desenha um mundo colorido na sua imaginação, cantando sua insanidade. Uma vida sem problemas é o que ele mais quer. Pedro diz que importa sermos aprovados na Fé através de várias tribulações (1Pe 1.6-7) e Tiago igualmente falando a judeus perseguidos, diz que devemos ter em consideração “toda alegria (Tg 1.2 - ARA)” quando passamos por problemas para que perseveremos em paciência e sabedoria de nosso Senhor (Tg 1.2). Jesus diz pouco antes da paixão no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. João 16:33b”. A vida não é uma equação de matemática onde se computa:

(x) Fé+ (y) Oração: (z) Vida sem problemas.

A confusa opinião de Simba é a opinião de muita gente. Quando o mundo lhe impropera as dores da realidade, não são poucos os murmuradores que desanimam na fé, pois lhes foram prometidos um mundo de fantasia: “venha conosco e será feliz!”. Este mundo é complexo e nossos problemas possuem muitas fontes: nosso pecado, os outros, satanás, circunstâncias…A história de Jó da outro viés inclusive. Já pensou se Jó fosse em um culto de libertação para expulsar de sua vida o causador de seus problemas? Confiemos em Deus e nos seus propósitos. Satanás não pode fazer o que ele quer. E nem tem poder ilimitado em nossas vidas. Como Lutero disse: “até o diabo é o diabo de Deus!”. Confie na proteção e em sua misericórdia pois Deus tem um cuidado especial por nós. No meio de bilhões de sóis, milhões de galáxias e constelações, Davi se indaga espantado, faça a mesma oração: “Afinal, quem é o homem para que te lembres dele? (Sl 8:4-5a)”

A ESCOLA NO DESERTO

Os dois, Simba e Jesus, vão para o deserto naturalmente para aprenderem algumas lições. Simba aprende um conceito que alguns cristãos já o sabem...ram,ram,ram, repita comigo: HAKUNA MATATA! Hakuna Matata é uma frase em uma língua falada no Quênia (África Central). A expressão com o sentido de "ok", ou "sem problemas". Na verdade é apenas explicar o que o pequeno Simba já acreditava. A velha vida de ser feliz a qualquer custo, minha alegria, minhas vontades, minha benção, meu milagre, parece que tenho visto muita gente que sempre que abre a boca para fazer uma oração ele diz trocando em miúdos: "Hatuna Matata". Naturalmente o rabino da galileia ensina-nos outro conceito bem longe do "Hatuna Matata". No deserto perseguido por satanás, Jesus diz que “nem só de alegrias (pão) viverá o homem mas de toda providencia divina (palavra que procede de Deus) (Mt 4.4)”, não foi com estas palavras mas foi isto que ele disse. Fabio Jr., o ator e cantor, tem uma música bem "Hatuna Matata":

"o que eu quero desta vida é ser feliz, e eu não abro mão, nem por você nem por ninguém, não me desfaço dos meus planos... 20 e poucos anos - Fábio Jr."

Na verdade nesta vida sabemos que algumas de nossas vontades são ilícitas e não nos convém. Por exemplo, vale por pouco tempo de “prazer” (adultério) destruir um casamento? Ou por uma oportunidade de nos elevarmos na empresa, fazer o que for preciso para conseguir aquela promoção? Tudo aquilo que não temos coragem de contar a ninguém o que fizemos, são estes os motivos para não fazê-lo (Immanuel Kant – 1724/1804). Esta vida de ser feliz a qualquer custo, é uma vida sem limites. Eleve este conceito um pouco mais e verá um ditador como Hitler que para cumprir sua vontade matou quase 50 milhões de pessoas. Os Cristãos para retomar a terra prometida fizeram mais terror e guerra (As Cruzadas). Mao Tse-Tung matou quase 70 milhões de pessoas. Fidel Castro em Cuba, fuzilou mais pessoas do que a Santa Inquisição em quatro séculos. Esta vida sem limites é uma vida “sem vergonha”. Aquilo que não temos coragem de contar a ninguém o que fizemos, são estes os motivos para não fazê-lo. Em alguns momentos dizemos: “se eu fizer isto o que vai pensar a minha mãe?” É porque a Mãe é o último reduto que você não quer que fique com vergonha por ter te parido. No fim, não envergonhemos o autor da vida, do cosmos, de tudo que existe. Como Jesus mesmo disse: “Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Mc 8:36”

PROVOCAÇÕES FILOSÓFICAS

Rafique o religioso que batizou Simba quando bebê, numa das provocações filosóficas mais intrigantes do filme, ele dá uma paulada na cabeça de Simba. E Simba indignado reclama da paulada e Rafique diz que não interessa sua queixa ou sua dor, pois ficou no passado. Você concorda? Algumas dores e magoas ficam no passado, mas suas marcas e feridas doem tanto quanto no dia em que você a sentiu pela primeira vez. Neste momento reconhecemos o quanto somos pequeninos. Como se livrar da dor? Como optar por esquece-la? Como escolher não sentir mais a dor? Como escolher nossos gostos e nossos desgostos? Olhando por um ponto de vista mais humilhado, percebemos nossa total ingerência sobre nossa vida.  Neste momento nos desfragmentamos e parecemos um mero expectador de nós mesmos. Parecendo uma “alma penada” a tentar dar palpites inóspitos, insípidos e sem eco sobre nós mesmos. Nosso pecado tem em qualquer tempo perdão e desaparece “das vistas” de Deus por nosso arrependimento. Mas se está no passado e portanto já passou, como se livrar “Hó Grande Homem”, de suas consequências?!?!?!? Mas Rafique vai além e tenta dar outra paulada em Simba e ele se esquiva, mas, apenas se esquiva pois conhecia a dor de uma cacetada! Quanto é pratica a carta de Tiago, irmão de Jesus, que resume o sermão do monte (Mt 5-7) e diz:

“Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações; Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência. (Tg 1:2-3)”

Simba sabe o que tem de ser feito. Mas teme pois tem de enfrentar seu passado. Isso dói muito mais que uma cacetada. Em suas palavras: “eu tenho fugido dele a tanto tempo!”. Se você está fugindo de seu passado, fez ou talvez ainda está fazendo algo de errado, algo que você tenha vergonha de estar fazendo, algo que envergonhe seu criador, se arrependa hoje! A hora é agora! Não adianta correr do pecado, ele tem pernas fortes e vai pegar você. Muito mais que isso ele vai te matar. O pecado é o maior genocida do mundo. Maior que Stalin, Hitler, Fidel, Mao Tse-tung juntos. Compute e verá como Paulo diz, que o salário do pecado é a morte (Rm 6.23). E veja que todas as pessoas de todos os tempos morrem. Advinha quem está matando? Cuide para que você com suas atitudes sem vergonhas não alcance somente a morte física como prêmio, mas a morte eterna, pois ali haverá choro e ranger de dentes eternamente (Mt 13.50).

O MISTÉRIO

Existe uma cena de “mistério” no filme. Simba se encontra com Rafique e ele o leva para conhecer um lago e promete encontrar com seu pai. Para mim, a cena mais fantástica e emocionante do filme. Mufasa em meio a uma nuvem densa, escura e em relâmpagos, conversa com seu filho (exatamente com a Shekhinah de Deus). Me lembro de jesus que quando do foi batizado por Joao, Deus rasga o céu e dá um brado de satisfação "Este é meu filho amado em quem me comprazo (2Pe 1.17)". Assim como Rafique que ajudou a revelar seu pai para Simba, as vezes é necessário alguém que nos ajude a revelar a Deus. Deus já foi revelado a você? Assim como na história, você já o viu? Você já o conhece? Eu te digo que em todas as vezes que alguém abre a bíblia para você e te orienta, te admoesta, estão te revelando o próprio Deus. Este momento de revelação é um momento sublime, quem em sã consciência num momento de uma revelação, ficaria disperso num momento destes? Apenas quem não sabe o que está acontecendo. De forma que nesta revelação, aprendemos tanto que isto passa a fazer parte de nós mesmos. Rafique mostra o lago para o Simba e decepcionado ele vê apenas o seu reflexo. Mas ao olhar com um pouco mais de calma ele vê a imagem de seu pai...Rafique faz a declaração espantosa, VEJA SIMBA, ELE VIVE EM VOCÊ! Quem foi alcançado pela graça de Deus e foi Regenerado e Justificado, o Apostolo Paulo diz que “já não sou eu quem vive mas Cristo vive em mim (Gl 2.20)”. ALELUIAS!

DEUS QUE SE ENTREGA

Por fim o que ainda permanece dessa história é que Mufasa em tantas situações salvou a vida de seu filho e muito mais que isso, seu amor não tinha limites para salvar a vida de seu filho. Ele se entrega em seu lugar, doa a vida pelo seu. Que história confusa. Mufasa morre para que seu filho Simba possa assumir seu reinado. Na verdade o evangelho é muito confuso. É a história de um Deus que morre numa cruz, para que o mesmo Deus possa ser Rei, Senhor e Cristo. Na verdade esta morte nos trouxe Vida, Salvação, Esperança e redenção.

Simba enfrenta Scar, assim como Jesus enfrentou a cruz, recebeu em si mesmo a justa condenação de Deus por nossos pecados, mas a morte não o pode segurar. Não cremos apenas naquele que foi morto e se fez maldito numa cruz (Gl 3), mas também naquele que ao terceiro dia ressuscitou e se assentou em seu trono eterno a destra de Deus pai. Esta história, apesar de confusa, é uma história fantástica, a história da redenção. Que possui todos os personagens. Deus (Mufasa) que tem em seu filho o futuro Rei. Satanás (Scar) desde o começo tentando pôr fim neste inevitável desfecho (Gn 3.15). Jesus (Simba), filho de Deus e futuro Rei (Cl 1.15-17). E naturalmente o seu povo (reino animal), que do começo ao fim, pela graça de Deus, permanece em reverencia, prostrado, reconhecendo o absoluto senhorio do Rei dos Reis (Ap 6.19). Aleluia!

PEDRO FERNANDES 03/08/2014